Celebre e agradeça a vida como grande bênção...

Celebre e agradeça a vida como grande bênção...

Deus ilumine o Brasil e o mundo, em nome de Jesus Cristo! Amém!

Deus ilumine o Brasil e o mundo, em nome de Jesus Cristo! Amém!
Parabéns, Srs. juizes...Continuem assim. Cuspam bastante na cara do povo...Ignorem bastante o sofrimento do povo saqueado e, depois, acertem as suas contas com o Universo: vocês e seus\suas comparsas em roubar a população. Mas, não se enganem: o Universo, a seu tempo, fará a justiça prevalecer...

domingo, 2 de dezembro de 2012

INFECÇÃO URINÁRIA: a doença do "saco cheio"!!!



Valéria Giglio Ferreira - Psicóloga 
 CRP 06\39080-4 - www.amar.psc.br

Hoje em dia, sabemos que o corpo físico e o corpo psicológico são tão unidos
 quanto os dois lados de uma folha de papel.

Não só não se tem como separá-los,
 como, quando se mexe no psicológico afeta-se o corpo físico e quando 
se mexe no físico afeta-se o psicológico.

Psique e Soma estão em contínua e inseparável relação.  


No caso das infecções urinárias, creio que a bexiga seja no corpo humano a representante do "saco emocional", já que por definição é também uma saco físico:
"a bexiga é um saco muscular e oco"*


Sim, saco emocional e depósito somático de sentimentos que, 
quando cheio de coisas que fazem mal à pessoa, pode somatizar e infeccionar.

" Tô com o saco cheio disto ou daquilo"
 é o que se diz quando já não suportamos mais uma situação! 

Então, a analogia acima dá conta de que diante da infecção urinária,
 além do indivíduo buscar a intervenção de profissionais de saúde (médicos) é 
preciso analisar os 

 ASPECTOS PSICOLÓGICOS DESTA INFECÇÃO, 
ou seja, DO SACO EMOCIONAL E FÍSICO (andam sempre juntos, lembra???)
QUE FICOU TÃO CHEIO QUE LEVOU AO ADOECIMENTO.

Claro, a pessoa vira lixo emocional do outro que vai só despejando, e você para ser bacana vai recebendo e nisto, vai se desligando de si mesmo\a, abaixando sua guarda interpessoal, abaixando seu o seu sistema imunológico e criando um ambiente físico e psicológico favorável para que as bactérias nadem de braçadas na sua bexiga! 

Deus nos livre e guarde de doenças, de moléstias!

Acredito que o processo das cistites, em seus aspecto psicológico, esteja intimamente
 relacionado à  limpeza do "saco/bexiga", soltando emocionalmente
tudo aquilo que possa ter ficado retido e que tenha acabado  favorecendo esta
 a "doença do saco cheio"! 

Cheio de impurezas, de toxinas emocionais
 que ao entrarem no sistema do indivíduo e não serem eliminadas,
 proliferaram e fizeram mal ao corpo físico e ao corpo psicológico.

Tem gente que enche demais o saco dos outros...até a pessoa adoecer.

Assim, podemos dizer que nas cistites, possivelmente, o sujeito esteja sendo contaminado por sentimentos negativos - impureza emocionais, lixo emocional tóxico - seus próprios e\ou de outras pessoas às quais esteja servindo de depositário ou condutor dessas negatividades que, então, ficando grudadas no seu mundo interior acabam sendo somatizadas na bexiga.

O processo é simples e lógico: o corpo fala o que a boca não pode falar. 
E fala através do órgão que simboliza o que está acontecendo no corpo psíquico. 

Soma e Psique em plena interação!



Se observarmos os contextos emocionais em que surgem as infecções urinárias encontraremos, infalivelmente, encoberta ou abertamente, situações de sobrecarga emocional negativa. 
Muitas vezes, dos outros!!!

Esta sobrecarga emocional quando demasiada leva o sujeito para o campo do excessivo, 
ou seja, daquilo que ele\ela não se faz capaz de processar, 
tendendo a desencadear no indivíduo os comportamentos predisponentes (como estados de alimentação irregular e/ou deficitária, insônias, quebra da rotina, tensão muscular etc.)
 que, via de regra, costumam "derrubar"
 o sistema imunológico abrindo a porta para os diversos sintomas físicos.

Mas, por que a bexiga (e/ou os rins) seriam potencialmente vulneráveis
 nestes contextos de sobrecarga emocional?

Porque justamente simbolizam os órgãos físicos que trabalham com o acúmulo de 
água: símbolo psicológico de sentimentos e emoções fluidas.

Se o sentimento é negativo e ficou retido, no corpo físico isto tenderá a se manifestar justamente na bexiga - no saco oco físico e psicológico - 
que, então, vai se enchendo, enchendo, enchendo... 

Creio que para se livrar desta enfermidade 
(que, com frequência, costuma ser reincidente,
 porque representativa de um comportamento predisponente também reincidente)
seja necessário, além de se tomar as medidas indicadas pela medicina, 
serem tomadas também as providências para que "o saco emocional"
 seja esvaziado
 e  não fique novamente TÃO CHEIO de emoções negativas
 a ponto do sujeito voltar a
 somatizar (tornar físico um problema emocional) e voltar a adoecer!!!

Pois, de nada adianta limpar e esvaziar o saco emocional/bexiga
 enchendo-o de antibióticos e livrando-se da doença 
para em seguida enchê-lo de novo, reincidindo na permissão das invasões emocionais tóxicas,
que parecem, do ponto de vista psicológico, favorecer em muito tais infecções! Então...

NÃO DÊ ADERÊNCIA PARA AQUILO - COISAS, EMOÇÕES, SENTIMENTOS, PENSAMENTOS, INTROMISSÕES, ETC. - QUE TE FAZ MAL.

Ao longo do tempo, das reincidências e das repetições, 
tudo isto poderia enfraquecer o organismo como um todo. 
Deus nos livre e guarde!

Creio que, do ponto de vista do psiquismo, para não haver reincidências nas infecções urinárias é preciso interromper eficazmente,
 tanto o processo físico quanto o psicológico que esteja favorecendo tal adoecimento.

- Mas, como fazer isto?

Fisicamente

* TOMANDO AS MEDIDAS INDICAS POR SEU MÉDICO\A.

Psicologicamente:

* REAGINDO, PRESERVANDO-SE E PROTEGENDO-SE.


* NÃO SE DEIXANDO CONTAMINAR PELAS 
NEGATIVIDADES DE AMBIENTES TÓXICOS, DE PESSOAS PESADAS,
 LAMURIOSAS, CANSATIVAS, QUE QUEREM TE FAZER 
DE VASO SANITÁRIO EMOCIONAL DELAS; O QUE É DIFERENTE DA PESSOA QUE QUER AJUDA E TE OUVE. PESSOAS TÓXICAS NÃO QUEREM AJUDA O  QUE ELAS QUEREM É DESPEJAR O LIXO EMOCIONAL E VOCÊ, DEFECA-LO EM VOCÊ E IREM EMBORA LEVES, MAS, SEM MUDAR NADA NA VIDA DELAS, PORQUE LOGO ESTARÁ VOCÊ LÁ PARA RECEBER MAIS LIXO, SEM QUE ELAS TENHAM QUE SE TRANSFORMAR PARA SEREM MAIS FELIZES 
E SE LIVRAREM DOS SEUS PROBLEMAS.  

* APRENDENDO A FILTRAR O QUE ENTRA E O QUE SAI DE VOCÊ  física e emocionalmente, e assim, PROTEGENDO também SEUS RINS - 
possível representante psicossomático deste filtro emocional.  


* ENFIM,  NÃO DÊ ADERÊNCIA PARA TOXINAS EMOCIONAIS!!!

- NÃO PERMITINDO QUE LHE ENCHAM O SACO!!! 
- MAS, COMO? 

Fazendo como fazem as células de nosso corpo: 
assim que o agente agressor toca sua membrana (metáfora para nossas fronteiras com o outro), 
acionam o sistema imunológico e não deixam aquilo entrar.
E, se entrar, não deixam grudar 
(é quando a bactéria gruda na parede da bexiga ou de outros tecidos do corpo que dá a infecção).
Um sistema imunológico eficaz põe logo o invasor para fora, 
expelindo também emocionalmente o que faz mal.

Então, percebeu a toxina emocional chegando,
 DESCONECTE, TIRA DO PLUG A PESSOA E CORTA O SEU PAPINHO TÓXICO.  

O I Ching fala sobre a "Mordida Cortante": corte e não deixe entrar o que te faz mal, doa a quem doer, você precisa se proteger. Isso faz parte da sobrevivência!!!

- MAS, COMO SE PROTEGER?  DESCONECTANDO IMEDIATAMENTE.

SAIA FORA DESSA PESSOA OU SITUAÇÃO QUE TE DÁ INFECÇÃO. PERMITA-SE. É SUA OBRIGAÇÃO E DEVER AUTO PRESERVAR-SE. 

DESCONECTE SEM CULPAS. LIBERTE-SE SEM CULPAS DAQUILO QUE TE FAZ MAL.

Em toda infecção urinária parece ter também, no indivíduo enfermo,
 um aspecto psicológico que resiste em atuar e se defender como adulto, que recusa a saída da infância e a realização de uma autodefesa natural
seja lá quem for o invasor:
 do pai, da mãe, do marido, da esposa, irmã, irmão, etc.  

Em toda somatização existe uma volta aos sentimentos vulneráveis da infância, quando as defesas sociais ainda eram muito frágeis.

Às vezes, o invasora\a está dentro de casa ou dentro da família, ou, na amizades unilaterais...

Mas, muito cuidado para não jogar fora - junto com o lixo - as suas coisas boas das relações!

A filtragem correta é reter as coisas boas - aquelas que te fazem feliz - 
e jogar fora somente as toxinas, aquilo que te faz mal.

Como se diz popularmente, as coisas que nos incomodam não podem ficar retidas dentro de nós, elas precisam "sair no xixi".

É preciso lembrar ainda que infecções urinárias, segundo alguns médicos, 
são fundamentalmente ocasionadas por autocontaminação, 

OU SEJA,

 DE ALGUMA MANEIRA VOCÊ ESTÁ - CONSCIENTEMENTE OU NÃO - PERMITINDO QUE OS "BICHOS" ENTREM DENTRO DE VOCÊ, GRUDEM EM VOCÊ, 
TE CONTAMINEM  E TE FAÇAM MAL. 

SE VOCÊ PERMITIA QUE JOGASSEM LIXO EMOCIONAL EM VOCÊ,
 ADMITA ISSO E MUDE ISSO. URGENTEMENTE. 
É LEGÍTIMO SE DEFENDER, MESMO DE QUEM VOCÊ AMA...! 


Assim, no contexto predisponente dessa enfermidade vemos que o sujeito
 tem - ainda que inconscientemente -, de fato, se deixado "contaminar" voluntaria ou involuntariamente por um ambiente emocional pesado, 
que é de onde surge e é absorvida a sobrecarga emocional tóxica acima referida.

Rins são filtros e quando eles chegam a ser afetados podemos pensar psicossomaticamente
 que a pessoa já não está conseguindo filtrar, adequadamente,
o que lhe faz bem e o que lhe faz mal na sua relação com seu  ambiente.

Em casos de doentes renais convém verificar se estes sujeitos não estariam funcionando como o filtro psíquico e emocional do seu ambiente familiar ou social gerando, assim,
 uma enorme sobrecarga para o seu sistema psicossomático.  

Deste modo, se houver  na convivência da pessoa enferma 
alguém que lhe "encha muito o saco" 
( para usar a sábia expressão popular desse mecanismo), é provável que o comportamento nocivo desta pessoa tenha se tornado resistente e repetitivo pelas soluções ineficazes usadas anteriormente para detê-la, 
aumentando o risco que desta convivência tóxica possa surgir a reincidência do "saco/bexiga cheio" que favorece - no aspecto psicológico - as infecções urinárias de repetição!

Então, não permita que lhe encham o saco!!!

Como medida preventiva, 

ESVAZIE O SACO EMOCIONAL\URINÁRIO SEMPRE E, 
DE PREFERÊNCIA,
 ASSIM QUE ELE COMEÇAR A ENCHER.

Resumindo: 

Jamais consinta que seu "saco emocional/bexiga" fique tão cheio a ponto de estourar criando fístulas ou o ponto de você se desequilibrar e ficar doente.

Por mais que você ame ou odeie alguém, cada um com seus problemas!

 Lembre-se de que ajudar é uma coisa,
 se desequilibrar e adoecer por causa dos outros é outra coisa! 
Quem te ama de verdade, certamente vai respeitar seus limites...!

Então, não permita que lhe encham o saco!!!

Ah, e lembre-se de que você não é uma criancinha indefesa que precisaria permitir invasões em si mesmo daquilo que te faz mal.  
Aja como adulto, exercite seu sistema imunológico social, interpessoal e físico. 


                                       DIGA NÃO PARA AQUILO QUE TE FAZ MAL.

De maneira tão assertiva quanto possível, 
mantenha seu saco/bexiga emocional limpo esvaziando-o com frequência, 
seja lá com quem for.

O corpo é sábio e perfeito, saiba usá-lo como uma bússola no Caminho da Felicidade. 
Ouça o que ele lhe diz e respeite-o sempre.

Aprenda a conhecer e respeitar seus limites colocando os claramente para os demais. 
Esta é uma questão de sobrevivência na selva humana. 

Não queira agradar sempre, pois isto não é possível já que implicaria em você passar por cima dos seus limites e expor sua saúde. 

Há autores que, alertando profissionais de saúde e cuidadores, relatam muitos casos de
 "...internações de cuidadores, enquanto que os pacientes crônicos continuam estáveis...!"

Não tenha medo de dizer NÃO para o que te faz mal. 
Não retenha toxinas físicas ou emocionais, 
não colabore para que "bichos nocivos à sua saúde" entrem em você.

Limpar seu organismo físico e psicológico é uma prioridade para o seu bom funcionamento. 
Somos magníficos seres autolimpantes, desde que deixemos a natureza agir!!!

Deste modo, sempre que você sentir que é hora de urinar 
e de por para fora o que não te serve mais, faça isto! Deixa o que te faz mal ir embora com o xixi!

Estudos dão conta da ação eficaz do CRAMBERRY* 
como auxiliar na eliminação e prevenção contra as infecções urinárias, sendo que sua ação parece estar ligada à evitação da aderência das bactérias à parede da bexiga. 

Neste sentido, penso que parte do trabalho psicológico para a remissão da cistite está em verificar se a pessoa adoentada estaria dando aderência, ou seja, 
acolhendo e deixando grudar em si aquilo que lhe faz adoecer...

Neste caso, creio que seja  preciso tomar consciência e modificar,
 imediatamente, esta forma disfuncional de agir ou reagir.

Cramberry é uma palavra cujo som CRAM...BERRY... me faz pensar em "o grande (cram) berro (berry)", ou seja, aquele momento em que precisamos dar o nosso grito de independência e dizer:

 "- BASTA, PARE DE ME ENCHER O SACO!" 

Porque essa sobrecarga emocional de estar tendo seu saco "enchido"
 vai fazendo com que a pessoa vá ficando atordoada e se desligue de si mesma.

É nesse ponto - o do desligamento de si mesmo\a - que costuma surgir a doença.

MAS, "SE DESLIGAR É PRECISO LIGAR DE NOVO, RELIGAR"!

PRIMEIRO COM DEUS, depois consigo mesmo, com o\a parceiro, com a família, com a sociedade, com a Natureza... 

A CURA PASSA, NECESSARIAMENTE, POR ESSA RELIGAÇÃO.

MANTER A SAÚDE IMPLICA EM MANTER-SE DENTRO DE SI, 
LIGADO CONSIGO MESMO\A EM CADA UM DOS NÍVEIS ACIMA MENCIONADOS, PRINCIPALMENTE,
 COM DEUS QUE É A LIGAÇÃO SUPREMA 
DE ONDE DECORREM TODAS AS OUTRAS, A LIGAÇÃO SOBERANA.       

Se for preciso dê o seu "grito do Ipiranga" e faça disto o começo de sua autonomia, em geral e especialmente, em relação a pessoas que possam estar te enchendo demais 
favorecendo que você adoeça da Doença do Saco Cheio! 

Lembrando ainda que a primeira coisa que a criança faz ao nascer, 
ao se libertar da fase uterina é justamente berrarrr...!!!

E isso dá início ao processo de desfusionamento da simbiose mãe-bebê, 
seguida da aquisição de sua autonomia como ser único. 

Quero dizer com isso que ninguém precisa aceitar o que lhe faz mal para ser amado\a. 

Não devemos aceitar toxinas como moeda de troca para nossa necessidade 
de amor e de admiração.

O primeiro grito, aquele do bebê dá ao nascer  pode ser considerado o grande 
primeiro berro da libertação da individualidade.

E é disto que muitos sujeitos que adoecem precisam: 
dar o grito de independência, pois afinal, 
"quem não se diferencia, adoece".
 
Se assim for, é possível que a cura da "doença do saco cheio" exija que o sujeito seja capaz de dar o seu grito de independência,
 colocando firme e definitivamente fronteiras claras na defesa de sua 
integridade física e emocional.


Que é o que se espera que um adulto faça ao

 DEFENDER SEU ESPAÇO VITAL, SEU TERRITÓRIO. 

Então, pelo bem da sua saúde, ative seu instinto de autopreservação, 
filtre seu ambiente e proteja-se de
 situações e emoções excessivamente negativas ou tóxicas, 
lembrando-se de esvaziar a bexiga física e emocional sempre que necessário.

E tenha ótima saúde!!!

Com a graça de Deus!



www.amar.psc.br 

Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais


Este texto pode ser reproduzido desde que se faça referência à autora e à fonte.

Modo de citação sugerido:

Ferreira, Valéria Giglio - Blog AMAR - ESCOLA DE CASAL E FAMÍLIA

32 comentários:

  1. Diego, fico contente que tenha gostado, sua opinião é importante para mim. Valéria

    ResponderExcluir
  2. Adorei e me identifiquei ! Preciso mesmo desapegar de certos lixos... e o cramberry eh perfeito, tenho em casa e esquec completamente. Grata

    ResponderExcluir
  3. A.C.O.P.,

    Agradeço a você por seu comentário e te digo que fiquei muito contente por imaginar que o texto possa ter sido útil!

    Valéria Giglio Ferreira

    ResponderExcluir
  4. Concordo muito com seu ponto de vista. E também relaciono carro/pessoa da mesma forma. :)

    ResponderExcluir
  5. Concordo muito com seu ponto de vista. E também relaciono carro/pessoa da mesma forma. :)

    ResponderExcluir
  6. Paulo, fico contente com seu comentário!

    Caso se interesse, a AMAR - Escola de Casal e Família também tem uma página no Facebook como AMAR - Cursos de Relacionamento e Família.

    Valéria

    ResponderExcluir
  7. Parabens e Obrigada! me fez enxergar!!

    ResponderExcluir
  8. Luisa,

    Minha alegria é grande em saber que você pode enxergar! Deus a abençoe e proteja sempre!

    Valéria

    ResponderExcluir
  9. Olha, me identifiquei por completo, impressionnte

    ResponderExcluir
  10. Olá Valeria,

    A cistite está repetitiva com a minha filha de 3 anos.
    O que posso fazer ?
    Alexsandra

    ResponderExcluir
  11. Alexsandra,

    Creio que o mais importante e URGENTE seja consultar um médico\a para verificar os aspectos físicos da cistite, mas, psicologicamente poderia ser útil observar se os sentimentos negativos do sistema familiar, especialmente de pai e mãe, estariam sendo devidamente expressados - com assertividade - ou se a criança estaria manifestando em seu organismo, um ambiente carregado emocionalmente demais para ela.

    Analisar como as emoções e sentimentos negativos do sistema familiar estão chegando até esta criança e até mesmo para seus pais.

    Uma leitura sobre "Comunicação assertiva" poderia funcionar como ferramenta na expressão dos sentimentos. Aqui mesmo no blog AMAR há um textos sobre isto.

    Que Deus proteja sua filha, você e sua família e que encontrem seu Caminho da Felicidade!

    Abraço! Valéria

    ResponderExcluir
  12. Nunca tinha pensado nisso, mas realmente se aplica muito ao que estou passando! Obrigada pelas palavras!

    ResponderExcluir
  13. Carolina Romani, fico muito contente que a postagem posa ser útil!

    Quando quiser, venha conhecer as páginas da AMAR no FACEBOOK: AMAR - Escola de Casal e Família e Casamento é coisa séria! Vamos discutir a relação?

    Grata por suas palavras de incentivo e por seu comentário! Valéria Giglio Ferreira - Psicóloga

    ResponderExcluir
  14. Muito bom, é realmente bem isto mesmo! No meu caso, sexual! Transar mesmo sem estar afim apenas para que o parceiro não fiquei chateado, inumeras vezes!Isto força o meu corpo que agora grita NÃO QUERO MAIS! Me impedindo de transar, por conta da dor. É praticamente meu corpo suplicando que não quer mais isto. Muito bom seu texto, agora só farei quando eu mesma quiser e muito. Dane-se se o outro quer! Se eu não quiser não farei. <3 Muito importante suas palavras, me ajudou muito, obrigada.

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito desta postagem, parabéns e quando paramos para pensar vemos que tudo se aplica ao seu modo de viver é como nós defendemos dos lixos psicológicos. Tenho infecção de urina repetida, se deixo de tomar o crambery, pronto já era, conheço todos antibiótico possíveis para itu.

    Parabéns que vc continue ajudando as pessoas a se ajudarem.
    Beijão, silvani

    ResponderExcluir
  16. Esse texto foi esclarecedor e de fundamental importancia. Precisamos tomar consciencia do direcionamento que estamos dando a nossa vida atraves dos pensamentos, sentimentos e atitudes.

    ResponderExcluir
  17. Bom dia! Minha filha te, 8 anos e tem infecções urinárias de repetição há mais de 2 anos. já tentamos muita coisa, inclusive psicoterapia. Somos espíritas, ela frequenta aula de evangelização infantil, é muito inteligente e esperta. É também bastante ansiosa e irrita-se com facilidade. Peço sua ajuda
    grata, Roseli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que posso orientar é que busque ajuda da medicina e da psicologia, talvez uma orientação para o casal parental conjuntamente. Fique com Deus! Abraço!

      Excluir
  18. Adorei o artigo. Sofro muito com isso. Até acabei de escrever um post sobre o assunto no meu blog http://casaefogao.blogspot.com.br/2017/03/infeccao-urinaria-emocional-existe.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Fico muito contente em saber disso! Caso tenha interesse em saber um pouco mais do meu trabalho, apresento uma série na NET, cujos vídeos estão na página da série no Facebook: TVMAIS - Aprendendo a AMAR, com Valéria Giglio Ferreira, psicóloga. Abraço! Fique com Deus!

      Excluir
  19. Nunca tive infecção urinária. Estou tendo agora. Venho vivendo situação de muito stress por conta de doença de minha mãe. Ela teve um AVC muito forte em julho do ano passado. Ela se mantém cronificada mas estável. Eu que estou adoecendo. Como ser cuidador e não adoecer? Vivo falando que estou de saco cheio de tudo e de todos. Propus para mim mesma parar de reclamar pq não adianta e ser mais proativa. Mas adoeci agora. O que fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite!
      Posso te dizer que o caminho da cura vem de uma tomada de consciência, seguida de tomada de atitude. Federico Navarro nos ensina que: "cada pessoa tem o seu Caminho da Felicidade; o sintoma é um sinal de que saiu desse caminho e precisa retornar a ela para sarar...". Fique com Deus! Que venha a cura!

      Excluir
  20. Valéria,
    você é uma querida. Me ajudou muito.
    com Carinho
    Cristina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina, que bom! Deus abençoe seu caminho e que fique tudo bem!
      Abraço!

      Excluir
  21. Grata pelos esclarecimentos ..vou aprender a ser assertiva.

    ResponderExcluir
  22. Olá! Essa leitura é realmente bastante acertiva! Me reencontrei neste texto. Obrigada por suas palavras!

    ResponderExcluir
  23. Espetacular!!!
    Nunca havia pensado nisso!
    Me identifiquei muito.
    Parabéns!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  24. Adorei o texto foi uma boa forma de nós fazer enxergar o modo em que convivemos eu sofro muito com infecção urinária desde criança. Até hj nunca tive oportunidade de encontrar um profissional que possa me ajudar.cada vez vou num médico cada um passa um antibiótico diferent.tenho fé em deus que um dia vou me curar

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante para mim.
Grata.

Valéria Giglio Ferreira
www.amar.psc.br